quinta-feira, 30 de julho de 2015

Destruam Toda a Terra (1968)

Destruam Toda a Terra! (1968)


Título(s) em Inglês: Destroy all Planets!; Gamera vs. Viras

Elenco: Korjio Hongo, Toru Takatsuka, Carl Craig, Michiko Yaegaki, Mari Atsumi, Junko Yashiro

Diretor(es): Noriaki Yuasa

Produtor(es): Masaichi Nagata, Hidemasa Nagata

A série original do Gamera atingiu o seu apogeu logo no segundo e terceiro filmes, mas longe de um declínio gradual na qualidade dos filmes, a série desceu um declive íngreme logo no próximo filme. Os cinema japonês estava sofrendo muito com a crescente popularidade da televisão nos últimos anos da década de 60. Os filmes de Godzilla haviam sofrido vários cortes de orçamento e 1968 foi o ano em que o Toho produziu O Despertar dos Monstros, que tinha como finalidade dar um adeus apropriado para Godzilla e seus amigos. Mas os cortes de orçamento visto em filmes como Ebirah, o Horror do Abismo eram nada comparado ao que os filmes de Gamera sofreram.

Destruam Toda a Terra marca a primeira, mas não a última, vez em que os cineastas teriam que utilizar quantidades generosas de cenas dos filmes anteriores para aumentar a duração do filme. Pior, há uma sequência de 10 minutos ininterruptos mostrando cenas dos primeiros três filmes. Uns 12 minutos da duração de 82 minutos em composto de stock footage. Cortes no orçamento podem também ser percebidos na falta de cenas originais de destruição de imóveis, no desenho do navio alienígena que parece um conjunto de bolas de vôlei pintadas amarelo, nos “figurinos” dos invasores espaciais que parecem roupa de cirurgião e na má qualidade das fantasias e marionetes de monstros. É um tristeza por todo o lado.

Além de sinalizar a queda na qualidade do produto final, o filme introduz o cliché da invasão alienígena, tema de mais dois (três se contar Super Monster Gamera) filmes da série. Além disso, Destruam Toda a Terra completa a transição da série para um foco juvenil, em que os principais protagonistas são crianças. Mais bizarro que isso é o fato que as crianças são sempre um japonês e um branco. Neste caso, são dois jovens escoteiros que estão andando de submarino quando encontram o Gamera dentro do mar. Os jovens são raptados pelos extraterrestres, que forçam a Gamera a atacar as cidades (mais cenas roubadas de outros filmes). Gamera, amigo para todas as crianças, está forçado a destruir (e, podemos supor, matar) para não machucar duas crianças idiotas (um tema recorrente da série). Isso vai como prova que os filmes de Gamera não ocorrem no Planeta Terra que nós conhecemos, ainda mais no mundo de hoje, em que os governos permitem que terroristas matem reféns como parte de uma política de não ceder aos seus interesses. Nesses filmes, os interesses de poucos (as crianças) sempre ultrapassam os interesses da maioria (todo mundo que está morrendo).

Apesar se não chegar aos níveis de Batalha dos Monstros, Destruam Toda a Terra tem algumas cenas que é difícil imaginar como alguém achou apropriado para pequenas crianças, o alvo do filme. Logo depois do sequestro dos heróis mirins, um deles ataca um ET com uma corda, dando um puxada forte na sua mão. Para o horror de todos, a mão dele sai voando, expondo a carne e osso (mas não sangue) que tem por baixo. Depois, quando o monstro Viras está absorvendo a essência de seus colegas, ele decepa a cabeça de cada um deles na nossa frente. E não podemos esquecer-nos da última luta de monstros, em que o Viras repetidamente empala o Gamera com a sua cabeça.

Viras, por sua vez, é uma criação bizarra. É basicamente uma lula com seis tentáculos (dois onde cabem as pernas do dublê), mas com dois olhos e um bico postos em cima no corpo, em vez de perto dos tentáculos. A outra extremidade da criatura está dividida em três mini tentáculos, que podem se juntar e formar uma adaga gigante. Viras não possui nenhum raio ou outra arma. Infelizmente, ele só aparece nos últimos dez minutos do filme. A luta é razoavelmente criativa, mas a viagem até este ponto pode valer ou não a pena. Fãs hardcore de monstros gigantes ou filmes trash podem achar muito graça no filme, mas outros deverão ter cuidado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário